Livros de Fantasia
Ir para o Índice

segunda-feira, julho 18, 2005

Northern Lights / Os Reinos do Norte - Crítica


NORTHERN LIGHTS
OS REINOS DO NORTE

Trilogia: His Dark Materials / Mundos Paralelos
Autor: Philip Pullman

Comprar em Inglês
Comprar em Português


Obs: Conhecido na América como "The Golden Compass"

"Sinopse:
«Mundos Paralelos» é uma trilogia, mágica e poderosa, recheada de aventuras, imaginação e mistério, que promete conquistar todos aqueles que se renderam ao fascínio de Harry Potter. O seu autor, Philip Pullman reuniu no primeiro volume, «Os Reinos do Norte», um vasto leque de ingredientes que vão desde a fantasia, o thriller, a reflexão filosófica e teológica, o mito clássico, o conto de fadas, a física quântica, a poesia ou o humor, ao suspense, ao terror mais genuíno e arrepiante, com uma naturalidade e coerência surpreendentes.
Lyra Belacqua, uma pequena orfã de onze anos, é a protagonista desta história. Levava uma vida feliz, alegre e despreocupada junto dos sábios da Jordan College, em Oxford, quando toda essa calma foi de súbito perturbada pela chegada de alguns visitantes. Um deles era Lord Asriel, o seu temido tio, que trazia provas de um perigo misterioso nos territórios do longínquo Norte: um enigmático fenómeno celestial, o Pó, oculta uma cidade suspensa na Aurora Borealis, e suspeita-se que seja uma diminuta partícula de um universo paralelo. Lyra é deixada com a Srª. Coulter, uma professora peculiar que tenta oferecer a Lyra a atenção que o seu único parente vivo sempre se recusou a dispensar. Mas nesta narrativa multifacetada nada é o que aparenta ser... e o súbito desaparecimento de inúmeras crianças, entre as quais Roger, amigo e companheiro de Lyra, leva a jovem numa busca que acaba por conduzi-la ao vasto e longínquo Norte. ..É o regresso dos terríveis Gobblers.., assim se diz, mas na realidade as crianças raptadas estão a ser cobaias de experiências que separam os seres humanos dos seus demónios internos, criaturas que refletem o lado negro da personalidade de cada ser. E, estranhamente, tudo leva a crer que Lord Asriel e a Srª. Coulter estão envolvidos em todo o processo.
Apenas na companhia de Pantalaimon, o seu génio protector, e de uma estranha bússola dourada, o Aletiómetro, que deve proteger de intenções nefastas, Lyra parte numa viagem perigosíssima, para tentar desvendar os misteriosos acontecimentos que todos suspeitam se estão a passar lá. Mas a realidade revela-se mais assustadora e próxima. Lyra irá conhecer criaturas fantásticas, feiticeiras que cruzam os céus gélidos, espectros fatais e ursos blindados numa luta terrífica entre a vida e a morte, o bem e o mal, a sobrevivência ou a aniquilação do mundo."
Sinopse pela Editorial Presença

Crítica:
Tinha expectativas elevadas para este primeiro livro da série. Comparavam-no a livros como Harry Potter e a autores como o J.R.R. Tolkien. Dizeram que a trilogia é um clássico dentro da literatura fantástica.
Talvez devido a estas expectativas este primeiro livro não recebeu a atenção devida por minha parte. Não pensem que estou a dizer mal do livro! Pelo contrário, só as (demasiado) altas expectativas me deixaram um pouco desapontado com o livro. No entanto o autor conseguiu criar um mundo fantástico, muito semelhante, mas diferente do nosso. Há pontos subtis no livro que passam despercebidos até chegarmos aos outros livros da trilogia. Talvez o que falhou para não o apreciar devidamente foi pensar neste livro como um livro isolado. E esqueci-me do fundamental, este livro é apenas a introdução. Só depois de ler o segundo me apercebi que afinal este livro não era mau... pelo contrário é excelente!
Para não revelar muito sobre a história (podem encontrar a sinopse em cima) aconselho-vos somente a isto: leiam o primeiro livro! e isto é um imperativo!
Depois mesmo que não gostem, mesmo que achem que se está a tornar enfadonho, comprem o próximo e leiam-no! ora aqui está outro imperativo. O segundo deverá bastar para fixarem que afinal não é tão "mau". E leiam o terceiro (o melhor dos três livros)! Quando acabarem de ler provavelmente quererão ler outra vez o primeiro, para lhe dar o devido valor. É isso que eu vou fazer!

Sai do templo com... nah, os livros não deviam ser avaliados com uma pontuação :)
Somente uma palavra: Indispensável!


2 Comments:

  • Acho que nenhum livro/autor deve ser comparado pois corremos o risco de criar demasiadas expectativas e quando o lemos na maioria ficamos desiludidos...

    Quanto à obra, interessou-me sem dúvida.. provavelmente será a próxima obra a ler quando terminar de ler "As Viagens de Gulliver" de Jonathan Swift...

    By Anonymous Ghelfalath, at 12:36 da manhã  

  • Li este livro sem expectativas nenhumas. Foi por isso que se calhar apreciei-o melhor do que tu, apesar disso concordo com a tua opinião. Os livros vão sendo significativamente melhores. Uma vez, numa conversa em que descrevia estes livros que referi-me a este como o início o segundo como o desenvolvimento e o terçeiro como a grande conclusão.

    São sem dúvida livros fenomenais e que recomendo vivamente.

    By Blogger ThUnDDeR, at 12:22 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home